Sequências nunca são fáceis de serem realizadas, principalmente quando o primeiro filme acaba se tornando um sucesso, tanto de crítica, quanto de público. Assim, apesar de desejarmos uma continuação, sempre ficamos com um pé atrás. É o caso de “Creed 2“, que tem a difícil missão de, não só de manter a qualidade de “Creed – Nascido Para Lutar“, mas também de toda a franquia “Rocky“, que teve início em 1976

Diferentemente do primeiro filme, no qual Adonis Creed (Michael B. Jordan) estava começando sua carreira no boxe, aqui ele já é um lutador famoso, vencendo uma luta atrás da outra nos Estados Unidos. Do outro lado do mundo, na Rússia, Viktor Drago (Florian Munteanu), filho do temível ex-lutador Ivan Drogo (Dolph Lundgren), também exibe uma performance impressionante. Vendo isso, o promotor Buddy Marcelle (Rusell Hornsby) acaba organizando uma luta entre os dois. O curioso, e o que deixa o embate interessante, é que anos atrás (para ser exato, em “Rocky 4“, de 1985), Ivan Drogo acabou matando Apollo Creed (Carl Weathers), pai de Adonis, em um confronto. Dessa forma, todo o palco está montado.

Imagem: divulgação

A película conta com o retorno de todos os personagens principais do primeiro filme. Destaque para mais uma brilhante atuação de Michael B. Jordan, mostrando que é realmente um dos melhores atores dessa geração; além de provar mais uma vez a química incrível com seu par romântico do filme, Tessa Thompson, que não só reforçou que é uma excelente atriz, mas também, uma ótima cantora. Ainda temos o dono da franquia, Sylvester Stallone, em mais uma atuação nostálgica, e Phylicia Rashãd, que presenteia o público com uma das cenas mais engraçadas do filme.

As novas aquisições ficam por conta do grande retorno de Dolph Lundgren e Florian Munteanu, boxeador romeno em seu primeiro papel no cinema, que, apesar de ter poucas falas, consegue encenar um ótimo antagonista. Na parte técnica, a sequência também passou por mudanças. Ryan Coogler, diretor do primeiro filme, volta apenas como produtor, deixando o cargo de direção para Steven Caple Jr. A construção desse roteiro também teve a ausência de Coogler e ficou nas mãos de Cheo Hodari Coker e o roteirista de todos os filmes em que Rocky foi protagonista, Sylvester Stallone.

Imagem: divulgação

Apesar disso, talvez o maior problema do filme seja o próprio roteiro. No geral, ele é bem construído, com um início, meio e fim, mas perde um pouco o ritmo no segundo ato, tornando-se um pouco cansativo e cheio de diálogos bem clichês, com frases apenas para causar impacto. Mas todas as lutas, com ótimos planos-sequência e close-ups para dar um tom dramático, e o treinamento de ambos os lutadores, sempre com elementos consagrados da franquia, compensam, sendo os pontos altos do longa-metragem.

Já um outro grande destaque do filme é a sua trilha sonora. Com curadoria do produtor musical Mike Will Made-It, temos grandes artistas do gênero Hip-Hop e R&B, como Kendrick Lamar, A$AP Rocky, Pharrell Williams, Bon Iver, Nas, Nicki Minaj, Lil Wayne, e muitos outros. Assim, “Creed 2“, mesmo não sendo tão bom quanto o primeiro, consegue manter o alto nível da franquia.

NOTA: 8,5


Direção: Steven Caple Jr.;
Duração: 2h10min;
Gênero: drama, filme de esportes;
Classificação Indicativa: 12 anos;
Sinopse: Adonis Creed (Michael B. Jordan) saiu mais forte do que nunca de sua luta contra ‘Pretty’ Ricky Conlan (Tony Bellew), e segue sua trajetória rumo ao campeonato mundial de boxe, contra toda a desconfiança que acompanha a sombra de seu pai e com o apoio de Rocky (Sylvester Stallone). Sua próxima luta não será tão simples, ele precisa enfrentar um adversário que possui uma forte ligação com o passado de sua família, o que torna tudo ainda mais complexo.

Trailer:

COMPARTILHE
  • 3
    Shares

Deixe uma resposta