Famoso em Hollywood pelos papéis caricatos em filmes totalmente voltados à comédia, Jonah Hill estreia como escritor e diretor em “Anos 90“, uma história sobre amadurecimento que, apesar do elenco jovem, consegue se comunicar bem com quem já passou da fase dos anos rebeldes. O longa é centrado na figura de um menino de 12 anos chamado Stevie, interpretado com surpreendente simplicidade e carisma pelo jovem Sunny Suljic.

Na história, Stevie sofre constantes agressões físicas e verbais de seu irmão mais velho, e se sente abandonado pela mãe. Quando ele começa a sair com um grupo de garotos skatistas, alguns anos mais velhos, ele rapidamente encontra nos amigos um porto seguro longe de casa e o sentimento de pertencer a algo maior que ele, ao mesmo tempo em que começa a navegar no turbilhão de emoções e experiências novas da adolescência.

Imagem: Tobin Yelland

Se afastando do que talvez fosse esperado dele, Jonah Hill deixa de lado as risadas para mostrar o retrato cru da realidade de um menino isolado que só quer encontrar seu lugar no mundo, em uma época que isso parece quase impossível, sem necessariamente passar adiante uma grande lição de vida.

A narrativa lida com alguns temas fortes, como o uso de álcool, drogas e a iniciação sexual quando se ainda é muito jovem, mas o enredo e a própria cinematografia abordam tudo com um olhar muito sincero e livre de preconceitos, o que deixa fácil para aqueles que já passaram pela mesma fase turbulenta da adolescência se identificarem em algum grau com a história.

Imagem: Tobin Yelland

Ainda que trate de dramas atemporais, o longa é definitivamente dedicado à mesma geração do diretor, que viveu a infância/adolescência no período que dá nome ao filme. Desde a filmagem em câmeras de 16mm, menos modernas, passando pela cultura dos skates e a trilha sonora de Trent Reznor e Atticus Ross, tudo é feito para não necessariamente homenagear a época, mas sim efetivamente transportar o espectador para esse período.

Em “Anos 90“, Jonah Hill parece mergulhar no seu próprio passado como um adolescente deslocado do mundo, ao mesmo tempo em que atua como observador distante de como era a infância e adolescência nesse período, levando o espectador em uma sessão de nostalgia com uma história cujo tema é quase universal e sempre interessante, e que mostra um futuro promissor para o comediante atuar mais vezes por trás das câmeras.

NOTA: 8,5


Direção: Jonah Hill;
Duração: 1h24;
Gênero: Comédia dramática;
Classificação Indicativa: 16 anos;
Sinopse: Aos 13 anos, Stevie (Sunny Suljic) é um garoto de Los Angeles tentando curtir o início da adolescência enquanto tenta relevar o relacionamento abusivo com o irmão mais velho. Em plena década de 1990, ele descobre o skate e aprende lições de vida com o seu novo grupo de amigos.

Trailer:

COMPARTILHE

Deixe uma resposta