Essa turminha dispensa apresentações! Há mais de 50 anos encantando e entretendo diversas gerações de brasileiros (sendo para muitas pessoas a porta de entrada no mundo da leitura), Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão finalmente ganharam suas versões de carne e osso nas telonas com o filme “Turma da Mônica – Laços“, já em cartaz no país.

Baseado na graphic novel homônima dos irmãos Vitor e Lu Cafaggi, que faz parte de um projeto da Mauricio de Sousa Produções onde artistas de diferentes estilos são convidados a criar histórias com os personagens do estúdio, mas sem seguir o traço padrão dos gibis, o longa é grandioso na sua simplicidade, com poder de emocionar e divertir diferentes públicos!

Imagem: divulgação

Com roteiro assinado por Thiago Dottori, a história começa com mais um plano infalível do Cebolinha (Kevin Vechiatto), que logo se mostra falível sim! Companheiro de todas as suas armações – e surras -, Cascão (Gabriel Moreira) está cansado de tentar roubar o coelhinho de pelúcia da Mônica (Giulia Benitte) para conquistar a rua, e pede ao amigo de cabelos espetados que faça outra coisa, mas não obtém o resultado desejado.

De volta ao lar e irritado com a posição de Cascão, Cebolinha vai dormir pensando num novo jeito de alcançar seu objetivo de vida; porém, quando acorda, se dá conta que seu cachorro, o Floquinho, desapareceu misteriosamente. Agora, ele vai precisar da ajuda de toda a turminha para colocar em prática um plano que não pode falhar de jeito nenhum, ou então perderá seu bichinho de estimação para sempre!

Imagem: divulgação

Apesar de muito aguardada pelos fãs, a ideia de levar a turminha dos gibis para o cinema numa versão em live-action deixava algumas pessoas com um pé atrás (incluindo o próprio Mauricio de Sousa e este jornalista que vos escreve). Afinal, estamos falando de um verdadeiro tesouro da nossa cultura, e todo o cuidado é pouco quando vamos lidar com materiais tão queridos pelo público.

Soma-se tudo isso ao fato dos personagens possuírem uma estética visual única, e as chances de termos diante de nossos olhos uma versão bizarra que não faz jus à obra de Mauricio são enormes! Entretanto, para a alegria e alívio dos fãs, “Turma da Mônica – Laços” mantém a essência dos personagens e entrega ao espectador uma produção de alto nível e bom gosto!

Imagem: divulgação

Dirigido por Daniel Rezende, o filme é um acerto em todos os sentidos, a começar pelo elenco. Kevin Vechiatto, Gabriel Moreira, Giulia Benitte e Laura Rauseo estão impecáveis como Cebolinha, Cascão, Mônica e Magali, respectivamente. Além da ótima caracterização, que soube manter com maestria os elementos visuais de cada personagem sem parecer caricato em nenhum momento, os atores apresentam um carisma natural, e trazem consigo traços de personalidade que se encaixam perfeitamente com seus personagens. Nada parece encenado, muito pelo contrário! É como se aquela fosse a real Turma da Mônica, cuja a qual o Mauricio se inspirou para fazer seus quadrinhos.

O elenco adulto também não deixa a desejar, tanto na caracterização quanto na atuação; com destaque para a atriz Monica Iozzi, que vive a mãe da Mônica, a atriz Fafá Rennó, que interpreta perfeitamente a mãe do Cebolinha, e o ator Rodrigo Santoro, que dá vida a um ótimo Louco e protagoniza um dos melhores momentos do longa! Apesar de sua participação ser algo exclusivo do filme, o roteiro se mantém bastante fiel à graphic novel, além de dar maior profundidade aos dramas vividos pelos personagens, explorando seus pontos fortes e fracos e os desenvolvendo no tempo certo.

Imagem: divulgação

Outro ponto que merce elogios é a fotografia. Bastante suave em todos os momentos, os planos, as cores, os cenários e toda a composição de cena do filme é de encher os olhos. A sensação é que estamos numa tarde preguiçosa de verão, quando os raios de Sol parecem abraçar nossa pele. Aliás, por falar em abraço, a experiência de assistir “Turma da Mônica – Laços” é equiparável a reencontrar sua criança interior e sair para brincar com ela! Cheio de amor e carinho, o texto transborda bons valores e sentimentos, nos fazendo relembrar o que é valioso de verdade na vida.

Genuinamente brasileiro, o longa ainda traz elementos únicos de nossa cultura, como o temível Homem de Saco! Repleto de referências e piadas sobre o universo criado por Mauricio de Sousa, além de uma participação do próprio no melhor estilo Stan Lee, “Turma da Mônica – Laços” é mais que uma boa sessão de nostalgia e mais do que um verdadeiro filme família, capaz de agradar dos mais jovens aos mais velhos. É um marco na história da cultura pop nacional, uma conquista para o nosso cinema que deve ser celebrada e prestigiada! Um orgulho nacional.

NOTA: 9,5


Direção: Daniel Rezende;
Duração: 1h37;
Gênero: comédia, família;
Classificação Indicativa: livre;
Sinopse: Em “Turma da Mônica: Laços”, Floquinho some e Cebolinha (Kevin Vechiatto) vai precisar da ajuda de seus inseparáveis amigos Mônica (Giulia Benite), Magali (Laura Rauseo) e Cascão (Gabriel Moreira) para encontrar seu fiel cãozinho.

Trailer:

COMPARTILHE

Deixe uma resposta