Quando uma mesma pessoa fica responsável por escrever e dirigir um filme, o resultado geralmente é decepcionante. Não é incomum que, por falta de outro alguém que participe do processo criativo, e que consequentemente levante críticas construtivas à respeito do caminho que a trama está tomando, as coisas acabem saindo dos trilhos em algum ponto. Felizmente este não foi o caso de “Entre Facas e Segredos“!

Dirigido e roteirizado por Rian Johnson, que em 2017 causou polêmica ao comandar e assinar o texto do oitavo episódio da saga “Star Wars“, este suspense fortemente inspirado nas obras da escritora Agatha Christie é uma grande surpresa da sétima arte neste fim de ano, instigante ao ponto de prender nossa atenção ao longo de toda sua projeção, que dura pouco mais de duas horas.

Imagem: divulgação

Protagonizada por um elenco de estrelas, a trama tem início quando, durante sua festa de aniversário, o senhor Harlan Thrombey (Christopher Plummer), patriarca de uma família excêntrica rodeada de mistérios, morre de forma enigmática. Além da polícia, o famoso detetive particular Benoit Blanc (Daniel Craig) é contratado por alguém interessado na solução do caso mas que prefere manter o anonimato. Enquanto isso, todos os possíveis suspeitos estão em prisão domiciliar e, naturalmente, o caos se instala!

Indicado nas categorias de Melhor Filme de Comédia Ou Musical, Melhor Atriz em Musical e Comédia (com Ana de Armas) e Melhor Ator em Comédia ou Musical (com Daniel Craig) no Globo de Ouro 2020, “Entre Facas e Segredos” consegue ora nos fazer rir, ora roer as unhas de tensão, mas sem esquecer de nos entreter durante todo o percurso do enredo. Aliás, falar do filme sem deixar escapar algum spoiler é, de fato, um desafio, por isso este texto irá se concentrar em outros aspectos da produção além de seu roteiro.

Imagem: divulgação

A começar pelo elenco, todos estão impecavelmente bem na pele de seus respectivos personagens. Toni Collette como a blogueira influenciadora Joni Thrombey é deliciosamente carismática! Já Chris Evans como o imprudente e egoísta Ransom Drysdale é odiosamente irresistível. Daniel Craig como o detetive Benoit Blanc conquista o público sem esforços ao equilibrar o charme tipicamente inglês (que o deixou famoso na pele do agente 007) com doses de humor que tornam o personagem mais humano.

Por fim, mas de forma alguma menos importante, Ana de Armas como a cuidadora Marta Cabrera dá vida a uma das personagens mais singulares do cinema dos últimos anos, com uma habilidade em específico que faz toda a diferença para o desenvolvimento da trama. Mantendo todas as pistas deste mistérios muito bem escondidas, “Entre Facas e Segredos” é um daqueles filmes impossíveis de se manter indiferente enquanto assiste. Você vibra, fica tenso, se surpreende, e quando tudo termina, fica com aquele gostinho de quero mais na boca!

NOTA: 9,0


Direção: Rian Johnson;
Duração: 2h10;
Gênero: mistério, suspense;
Classificação Indicativa: 14 anos;
Sinopse: Após comemorar 85 anos de idade, o famoso escritor de histórias policiais Harlan Thrombey (Christopher Plummer) é encontrado morto dentro de sua propriedade. Logo, o detetive Benoit Blanc (Daniel Craig) é contratado para investigar o caso e descobre que, entre os funcionários misteriosos e a família conflituosa de Harlan, todos podem ser considerados suspeitos do crime.

Trailer:

COMPARTILHE

Deixe uma resposta