Neste exato momento, a comunidade cinematográfica mundial se encontra no meio de mais uma temporada de premiações. De cinéfilos que tem na ponta da língua o nome de todos os indicados nas principais categorias, passando pela mídia especializada e suas apostas, até aqueles que estão apenas curiosos para saber qual filme será escolhido como o melhor do ano, todos estão de olho nos tapetes vermelhos estirados em Hollywood.

No entanto, o cinema não é feito apenas de vencedores do Oscar, Globo de Ouro, SAG Awards e afins. É claro que estas premiações possuem grande valor para a indústria, bem como os títulos indicados a elas; mas a sétima arte é plural, assim como seu público. Além de nos trazer um novo olhar sobre determinado assunto, além de nos fazer refletir, além de nos contar uma história nunca antes contada, o cinema também nos entretém; e às vezes, é só disso que precisamos.

Imagem: divulgação

Dirigido por Adil El Arbi e Bilall Fallah, “Bad Boys Para Sempre” chega às telonas 17 anos após a estreia de “Bad Boys II“, e 25 anos após o lançamento do primeiro “Bad Boys” nos cinemas. Apesar de parecerem pouco relevantes, tais números são de suma importância para compreender um personagem que não é citado nos créditos finais, mas se faz muito presente durante toda a projeção: o tempo. Mais velhos e experientes, o conflito de gerações é uma constante ao longo das pouco mais de duas horas de filme.

Detetives no setor de narcóticos da Polícia de Miami, a dupla Mike Lowrey (Will Smith) e Marcus Burnett (Martin Lawrence) vivenciou diversas situações perigosas ao longo de sua carreira; e como nada dura para sempre, chega uma hora em que é preciso pendurar as chuteiras e encarar novos desafios. Relutante à ideia de aposentadoria de Marcus, que acaba de se tornar avô, Mike deseja seguir na vida de bad boy até seu último dia na Terra, mas quando uma nova ameaça que possui conexões com seu passado surge, ele perceberá que sozinho não vai longe, e precisará de toda ajuda possível se quiser ter mais um caso resolvido em seu currículo.

Imagem: divulgação

Mantendo a essência de seus antecessores, “Bad Boys Para Sempre” é indubitavelmente o melhor filme da trilogia! Se você nunca viu os dois primeiros longas não precisa se preocupar, pois esta história não tem muitas ligações com as aventuras passadas. No entanto, para quem acompanhou a jornada da dupla até aqui, vai pegar fácil as referências espalhadas pelo enredo, incluindo duas participações especiais em particular. As tomadas panorâmicas e a fotografia saturada, que se tornaram marcas da franquia, também se fazem presentes. Já a trilha sonora repleta de hits não vai te deixar parado na poltrona!

Com um roteiro bem escrito, que trabalha os dilemas de seus personagens principais do modo que eles merecem, e desenvolvido num ritmo confortável, o filme apresenta uma história interessante e um drama mais maduro. Apesar de clichê na hora de construir o vilão e suas motivações, o longa entrega ótimas cenas de comédia e ação, no melhor estilo hollywoodiano! A química entre Will e Martin dispensa elogios, e os novos personagens são muito bem inseridos à trama. Ao fim da sessão, “Bad Boys Para Sempre” se prova um ótimo blockbuster, daqueles que nos fazem lembrar porquê ir ao cinema continua sendo uma ótima opção de entretenimento!

NOTA: 8,0


Direção: Adil El Arbi & Bilall Fallah;
Duração: 2h04;
Gênero: ação, policial;
Classificação Indicativa: 16 anos;
Sinopse: Os Bad Boys Mike Lowrey (Will Smith) e Marcus Burnett (Martin Lawrence) estão de volta para uma última missão no esperado Bad Boys Para Sempre.

Trailer:

COMPARTILHE

Deixe uma resposta