Em 2006, após o lançamento de 20 longas-metragens, a franquia “007” foi reiniciada com Daniel Craig no papel de James Bond no filme “007 – Cassino Royale“. Desde 1962, quando “007 Contra o Satânico Dr. No” estreou ao redor do mundo, até aquele momento, as produções baseadas no personagem criado pelo escritor britânico Ian Fleming seguiam uma ordem cronológica, o que dificultava novos públicos de acompanharem a saga. Agora, 15 anos depois de assumir o manto do agente secreto, Craig encara sua última missão em “007 – Sem Tempo Para Morrer“.

Dirigido pelo norte-americano Cary J. Fukunaga, com roteiro assinado por Phoebe Waller-Bridge, em parceira com Neal Purvis e Robert WadeScott Z. Burns e o próprio Fukunaga, o filme tem início com Bond aposentado na Itália, distante da ação e dos conflitos internacionais. Ao lado de Madeleine Swann (Léa Seydoux), o ex-agente da MI6 curte a vida que sempre desejou ter, mas continua cauteloso com o ambiente ao seu redor e, claro, com sua forma física impecável em dia. Porém, sua paz é interrompida com um ataque inesperado que, além de despertar inúmeras dúvidas em sua cabeça, lhe obriga a fazer o primeiro de muitos sacrifícios.

Imagem: divulgação

Cinco anos mais tarde, Bond está isolado numa ilha do Caribe quando seu velho amigo Felix Leiter (Jeffrey Wright), da CIA, aparece com um pedido de ajuda. Um importante cientista russo foi sequestrado pela organização secreta Spectre, que agora está na posse de uma nova tecnologia perigosíssima. A missão de resgatá-lo acaba sendo muito mais difícil do que o esperado, e entre traições, reviravoltas, o surgimento de novos agentes e reencontros com antigos inimigos, James Bond entra no caminho de Lyutsifer Safin (Rami Malek), um novo e poderoso vilão.

Sob a responsabilidade de encerrar um ciclo de uma década e meia, “007 – Sem Tempo Para Morrer” entrega um grand finale de alto nível que explora ao máximo o potencial de Daniel Craig. Ao longo de 2 horas e 43 minutos, a maior duração de um filme dessa nova fase da franquia, a trama procura amarrar todas as pontas soltas deixadas pelos longas anteriores, ao passo que introduz novos personagens que podem aparecer em produções futuras. Talvez a decisão de englobar tantos elementos num roteiro só torne a experiência cansativa para alguns espectadores, mas os fãs do personagem com certeza vão aproveitar cada minuto.

Imagem: divulgação

Ponto alto da franquia, as sequências de ação deste filme são grandiosas e espetaculares. Cary Fukunaga conduz a câmera com firmeza e segurança, proporcionando ao público a melhor visão dos fatos. Aliás, as tomadas filmadas com câmeras IMAX tornam a experiência ainda maior! Em um dos melhores momentos do longa, a atriz Ana de Armas rouba a cena com seu carisma e sensualidade, esbanjando uma habilidade incrível de combate bem coreografado. Outra atriz que não passa despercebida é Lashana Lynch, que interpreta a agente Nomi. Durona e poderosa, ela possui um charme único!

Daniel Craig entrega sua melhor performance desde “Operação Skyfall“, de 2012. O britânico dá tudo de si em sua derradeira atuação, esbanjando domínio sobre o personagem. É uma despedida digna. Rami Malek, por sua vez, é pouco aproveitado pelo roteiro. Com o rosto deformado, deixando claro para o público quem é o vilão, ele possui um arco não muito criativo. Ao som da ótima trilha sonora de Hans Zimmer, afiada em todos os momentos, “007 – Sem Tempo Para Morrer” oferece uma boa combinação entre a essência do personagem principal com o melhor da modernidade cinematográfica. Independente dos rumos que a franquia tome daqui pra frente, essa fase do agente secreto deixou sua marca na história.

NOTA: 8,5


Direção: Cary J. Fukunaga;
Duração: 2h43;
Gênero: ação, aventura;
Classificação Indicativa: 14 anos;
Sinopse: Em 007 – Sem Tempo Para Morrer, Bond deixou o serviço ativo e está desfrutando de uma vida tranquila na Jamaica. Sua paz não dura muito quando seu velho amigo Felix Leiter, da CIA, aparece pedindo ajuda. A missão de resgatar um cientista sequestrado acaba sendo muito mais traiçoeira do que o esperado, levando Bond à trilha de um vilão misterioso armado com nova tecnologia perigosa.

Trailer:

COMPARTILHE

Deixe um comentário