Após alguns adiamentos, o terceiro longa da franquia spin-off de Harry Potter, “Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore“, finalmente chega aos cinemas. Muitas expectativas foram criadas para a retomada do Mundo Bruxo nas telonas, mas alguns fãs ficaram em cima do muro em relação aos dois antecessores. Será que agora vai engatar?

O novo longa é dirigido mais uma vez por David Yates. A escritora e criadora do universo, J.K. Rowling, que foi criticada ao ser a própria roteirista dos dois primeiros filmes, se uniu a Steve Kloves dessa vez. Diferentemente dos antecessores da saga “Animais Fantásticos“, vemos aqui uma mudança na tonalidade da cosmologia, na qual se dá por ser mais “séria” e com arquiteturas de filmagens que se distanciam da própria visão estabelecida por Yates.

Imagem: divulgação

A trama coloca em primeiro plano a discussão sobre o pacto de sangue de não agressão entre Alvo Dumbledore e Geraldo Grindelwad, além de suas relações próximas que já foram apresentadas no segundo filme. Entretanto, a condução do tema não é muito explorada, ficando com teses superficiais. As linhas tênues se realinham em “Segredos de Dumbledore“, já que temos uma narrativa de começo, meio e fim. Assim, este se torna um filme mais centrado no arco, se comparado com os anteriores.

O ator Mads Mikkelsen tem personalidade própria para interpretar Grindelwad, o que é bom, mas acaba não despertando um clímax ou uma tensão por parte do vilão. Isso se da por conta do roteiro, que não lhe permite executar um ar mais imponente. O pensamento de transformar os não-bruxos em uma raça inferior, conduzida por Johnny Depp em “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwad” (2018), permanece.

Imagem: divulgação

Contudo, a incorporação realizada por Depp tinha mais presença de cena e uma construção de persona com melhor encaixe no universo, mesmo considerando os problemas de coerência do longa anterior. Por outro lado, Credence Barebone (Ezra Miller) mudou bastante depois de nosso último contato. O personagem parece ter eliminado seu tom depressivo e cabisbaixo; porém, sua trajetória se torna clichê e sem o impacto iminente que sua história poderia trazer a tona. Uma pena.

Por outro lado, Jude Law é o carisma em pessoa realizando o papel do icônico professor que virá a ser o diretor de Hogwarts. Notamos como consegue transmitir sua gentileza, inteligência, habilidade e nobreza. Já nossos protagonistas de primeira viagem são cópias e trazem funções igualitárias já vistas anteriormente, como alivio cômico e outros comportamentos característicos; além de serem fios condutores para a trama girar em torno de Alvo e Geraldo.

Imagem: divulgação

Em um enredo simplório, Newt Scamander (Eddie Redmayne) forma uma equipe “duvidosa” para impedir os atos do antagonista. Vemos uma “dualidade” entre Jacob (Dan Fogler) e Queenie (Alison Sudol), que é previsível, e também a inserção de um dos grandes destaques do filme, que é a atriz Eulalie Hicks (Jessica Williams) e a surpresa de Bunty (Victoria Yeates).

A política é explorada e acaba sendo paralela aos acontecimentos dos “Trouxas” durante a Alemanha de 1930. A Confederação Internacional dos Bruxos está aprontando para eleger seu mais novo líder do Ministério da Magia. A brasileira Vicência Santos (Maria Fernanda Cândido) é a favorita para vencer a disputa, mas o populismo imposto por Grindewald acaba roubando a atenção. A personagem de Maria Fernanda é mal explorada e não sabemos suas motivações, como também acontece com terceiro a disputar o cargo.

Imagem: divulgação

Todavia, a jornada fica na mesmice e acaba jogando no seguro, sem sair da zona de conforto. Com isso, acaba sendo menos “ousado” que seus antecessores, passando por circunstâncias esperadas entre personagens e a própria história. Um percurso genérico de uma ponta a outra. Porém, acaba “concertando” atos contraditórios encontrados nos outros longas da franquia e sendo divertido.

Nota: 6,0


Direção: David Yates
Duração: 2h23;
Gênero: Fantasia/Aventura;
Classificação Indicativa: 14 anos;
Sinopse: Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore é a sequência das aventuras de Newt Scamander (Eddie Redmayne), um magizoologista que carrega em sua maleta uma coleção de fantásticos animais do mundo da magia descoberta em suas viagens. Dessa vez, ele é convocado por Albus Dumbledore (Jude Law) na luta contra o vilão Grindelwald (Mads Mikkelsen). A trama mostra por que o célebre bruxo de Hogwarts, que sabe da busca por controle de Grindelwald e é incapaz de detê-lo sozinho, confia no magizoologista para liderar uma equipe de bruxos, bruxas e um bravo padeiro trouxa em uma missão perigosa. Ao longo do enredo, eles encontrarão velhos e novos animais fantásticos, além de enfrentar a crescente legião de seguidores do vilão. Mas o que o grupo de Scamander não sabe é que Grindelwald colocará o Mundo Mágico em uma luta contra o mundo dos trouxas. Enquanto o universo da magia fica mais dividido, Dumbledore deve decidir por quanto tempo ele ficará à margem da guerra que se aproxima.

Trailer:

COMPARTILHE

Deixe um comentário